3 práticas para sair do ciclo vicioso de ruídos de informação

A sobrecarga de informação é uma realidade em nossa vida contemporânea. Eu uso e gosto de viver com a presença da tecnologia, assim como muita gente. O fato é que, com desenvolvimento tecnológico e o aumento do volume de informação mudou o nosso comportamento informacional e a forma que a mente-corpo são impactados por esses efeitos. Além disso, o grande número de dados gerados por todas as nossas ações são rastreadas e utilizadas para direcionar o nosso consumo.

Bem, diante disso podemos nos considerar em um ecossistema e precisamos nos adaptar aos estímulos de informação que recebemos diariamente.

Um dos efeitos é o congestionamento do fluxo de informação gerado por ruídos, que interfere consideravelmente na clareza para tomar decisões e realizar ações. Também pode levar a procrastinação, que é a tendência de adiar a iniciação ou conclusão de uma tarefa.

No senso comum, ruído significa barulho ou poluição sonora não desejada. Na teoria da informação o ruído é considerado como portador de informação. (Wikipédia)

Nesse contexto, surgiram muitas estratégias para lidar com a informação. Visto o próprio desenvolvimento do campo interdisciplinar de conhecimento – Ciência da informação está aí para nos dizer.

Neste post, eu quero refletir sobre esse ciclo vicioso que aumenta a ansiedade, diminui a capacidade para esclarecer o que realmente é essencial e reduz a energia para agir.

Ciclo vicioso de sobrecarga de informação, aumento de ruídos, falta de clareza, procrastinação, adiamento de ação, aumento da ansiedade, busca de distração.
Elaboração própria

3 práticas simples que podem ajudar a diminuir os ruídos de informação e quebrar esse ciclo vicioso.

A prática da meditação

A meditação pode mudar como nos conectamos com o mundo e como absorvemos informação. O desenvolvimento da prática muda o nosso comportamento informacional. Aprendemos a selecionar, a descartar, liberar o fluxo pelo exercício da presença.

Você pode exercitar a prática de meditação em qualquer lugar e hora. Sim, não precisa estar em um templo tibetano para intensificar a prática. Basta voltar a atenção para a sua respiração, esvaziar a mente e centrar-se na moldura do seu corpo.

E por onde começar?

Para quem não medita e quer iniciar a prática eu recomendo o uso de um aplicativo para te ajudar a construir esse hábito. Eu uso o Meditação Natura. Existem vários escolha um que funcione para você.

  1. Sente-se em um lugar confortável. Pode ser uma poltrona, almofada ou mesmo no chão.
  2. Encontre uma posição que você sinta-se bem com o seu corpo.
  3. Olhe para frente. Feche os olhos ou simplesmente repouse as pálpebras.
  4. Faça de 3 a 5 séries de respiração ativa. Ou seja, expire profundamente e inspire.
  5. Foque na sua respiração passiva. No ar entrando e saindo sem esforço.
  6. Mantenha a mente vazia. Se vier pensamentos, deixe ir. Não retenha.
  7. Fique o tempo que sentir-se bem. Aumente progressivamente, se tiver vontade.
  8. Ao encerrar, faça novamente a respiração ativa, de 3 a 5 séries.

A prática do uso de limites

Estabeleça limites para você mesma/o e para os outros. Para muitas pessoas exercitar o limite é um desafio, tanto para dar com receber limites. Diz um provérbio popular:

Quem faz a fazenda é a cerca

Por exemplo, quando a ansiedade se aproxima a tendência é aumentar o uso de redes sociais ou mesmo ir para frente da TV. É uma forma de manter-se anestesiado e não agir. Para isso, observe quanto tempo você tem gasto do seu dia com esses estímulos.

A prática de esclarecer a informação

Independente da ferramenta que você vai utilizar no seu dia dia, tenha um método para tratar a informação que chega até você ou que você busca. O que isso quer dizer? Sistematize o tratamento da informação. Tenha um fluxo a qual você possa filtrar a informação. Seja descartar, processar, armazenar… Por exemplo, na caixa de entrada do e-mail. Eu tenho uma etapa de triagem o que vou tratar hoje e o que pode esperar. Não precisa fazer tudo ao mesmo tempo.

O que você faz quando sente-se em um ciclo vicioso de ruídos de informação?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s